Superação Da Violência Doméstica





Essa é a palavra para começar uma nova vida: Superação. Nós mulheres vivemos superando diversas dificuldades e comigo Marilha Boldt não foi diferente. Sou uma mulher real que sofri violência doméstica do meu ex-companheiro por vários anos seguidos. Minha mente e meu estado emocional foram abalados de uma forma que nunca imaginaria e que nunca havia percebido até ter sido expulsa da minha própria casa.

Sou de Curitiba, mas após conhecer um “cavalheiro” carioca pela internet, comecei a me relacionar com ele, no início tudo eram flores, passeios e carinhos para cá e para lá, depois que estava completamente apaixonada, ele começou a me manipular contra os meus amigos, me fazendo ficar distante dos mesmos, daqui a pouco foi da minha família, mas tudo era tão sútil que eu não percebia a manipulação. Foi quando me mudei para o Rio de Janeiro e fomos morar juntos, as manipulações continuavam e eu estava longe fisicamente dos meus amigos do sul do Brasil e da minha família, e todo contato feito por estes eram brigas horrorosas que me afastavam ainda mais de todos.

Este isolamento me fazia muito mal, pois ele fazia de mim qualquer coisa e eu me submetia a tudo, as humilhações eram constantes, e muitas vezes na frente de amigos e parentes, pois ele dizia que eu apenas aprendia dessa forma as lições dele. As violências psicológicas eram constantes e eu me sentia cada vez mais como um lixo, minha estima foi para o ralo, e os primeiros sintomas foi uma tristeza imensa e o sobrepeso.

Após sofrer com todas as violências domésticas, fui proibida de entrar em minha própria residência, sem ter para onde ir, fui na DEAM (Delegacia Especializada no Atendimento a Mulheres), onde fui desencorajada pelo policial em fazer o Registro de Ocorrência, pois “era uma briga entre marido e mulher e logo passaria e depois me arrependeria de ter feito o Registro”, na época cursava faculdade de Direito e consegui abrigo na casa de uma amiga.

Quando tentei adentrar na minha casa para pegar alguns pertences fui agredida fisicamente, quando finalmente a DEAM fez o Registro de Ocorrência e consegui a Medida Protetiva.

A partir desta data comecei a entender tudo o que tinha vivido em anos de relacionamento abusivo passando a superar cada obstáculo que foram incontáveis.

Desde então, criei uma página no Facebook, Instagram e Youtube afim de auxiliar outras mulheres a Superarem a Violência Doméstica, pois se eu superei diante de diversas dificuldades sei que todas nós podemos e juntas fica ainda mais fácil.

Nenhum comentário: